doe sangue novembro


Mortes por dengue disparam e crescem 650% em RO durante um ano

Mortes por dengue disparam

O número de mortes por dengue registradas disparou em 2022 e passou a preocupar autoridades de saúde em Rondônia. No ano passado, a doença viral transmitida por mosquitos matou 15 rondonienses.

LEIA MAIS

Trágico: Idoso morre eletrocutado após basculante de caminhão encostar na rede elétrica 

Trágico: Cantor sertanejo, foi morto por engano diz delegado

Casal é flagrado fazendo fortes emoções em frente a Catedral; Vídeo

Saúde: Quiropraxia é perigoso?

Rondônia: Empresário morre após grave colisão frontal na BR-364

Segundo dados do boletim epidemiológico da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), o total de óbitos corresponde a um aumento de 650% em relação a 2021, quando apenas duas pessoas morreram de dengue no estado.

A cidade de Cacoal concentrou a maioria das mortes provocadas pela dengue no ano passado: 5 no total. Em seguida está Nova Brasilândia D’Oeste, com 3.

E não foram apenas as mortes por dengue que aumentaram em 2022. O número de casos confirmados da doença cresceu na mesma proporção.

Segundo a Agevisa, o estado teve 1.654 casos de dengue confirmados em 2021, enquanto no ano de 2022 foram 12.432 positivados (um aumento de 652%).

Em 2022, o governo já havia feito um alerta para uma nova epidemia da dengue, que atingiu todas as regiões e deve se manter nos primeiros meses de 2023.

Atualmente, 13 cidades estão um surto da doença: Alta Floresta D’Oeste, Cerejeiras, Gov. Jorge Teixeira, Jaru, Mirante da Serra, Nova Brasilândia, Pimenta Bueno, Presidente Médici, Santa Luzia d’Oeste, São Felipe d’Oeste, São Francisco do Guaporé, Teixeirópolis e Vilhena.

A transmissão

O principal vetor da dengue é mosquito Aedes aegypti. O vírus é transmitido para humanos por meio da picada da fêmea do mosquito infectado. Por isso, é importante eliminar os criadouros do mosquito e, assim, evitar que ele se prolifere.

Fonte: g1 rondonia