doe sangue novembro


Rondônia: PF desarticula um dos maiores esquemas de tráfico, e sequestra 25 carros e 4 imóveis

Uma operação da Polícia Federal (PF), chamada Canto da Serpente, desarticulou nesta sexta-feira (25) um dos maiores esquemas de tráfico de drogas na cidade de Guajará-Mirim (RO), na fronteira com a Bolívia.

A operação mirou integrantes de uma organização criminosa que além de tráfico e associação ao drogas, utiliza empresa para cometer outro crime: a lavagem de dinheiro.

Segundo a PF, nesta sexta-feira estão sendo sequestrados 25 veículos, avaliados em cerca de R$ 1,2 milhão, além do sequestro de quatro imóveis.

São cumpridas ainda mais 69 ordens judicias, sendo 25 de prisão preventiva e 44 de busca e apreensão. Os mandados são cumpridos nas cidades de Guajará-Mirim, Porto Velho e São Paulo.

LEIA MAIS

Caso com colega de academia pode ter sido motivo de assassinato de engenheiro agrônomo em Primavera

Professor de 27 anos morre após ter casa atingida por raio

Vídeo flagra homem sendo morto a tiros em restaurante

Núcleos e movimentação bilionária

Segundo a PF, a organização criminosa de Guajará-Mirim era composta por três núcleos, como uma espécie de organograma.

  • Um núcleo era responsável pela logística do tráfico, incluindo compra e distribuição da droga;
  • Já os outros dois ‘setores’ ficavam responsáveis movimentação financeira, que se dava por meio de ocultação patrimonial, laranjas e empresas de fachada.

A Receita Federal do Brasil, que ajudou a PF a rastrear as ações financeiras, descobriu que a organização criminosa de Guajará-Mirim movimentou cerca de R$ 1,3 bilhão.

“Além disso, análises fiscais indicam que, apenas entre créditos e débitos de contas cujos investigados eram titulares, chega-se à monta de aproximadamente R$ 700 milhões”, diz a polícia.

A Justiça Estadual de Rondônia determinou a suspensão de 14 empresas que eram usadas pelos criminosos para movimentar o dinheiro oriundo do tráfico de drogas. Também foram bloqueados R$ 330 milhões das contas dos investigados.

A investigação da operação Canto da Serpente envolve cerca de 140 policiais federais, sendo mais de 100 apenas em Guajará-Mirim.

Fonte: g1 ro