doe sangue novembro


Em Vilhena, PRF desbloqueia rodovia e detém seis manifestantes

Cinco homens e uma mulher foram conduzidos por Atentado contra o Estado Democrático de Direito, resistência, desobediência à decisão judicial, incitação ao crime, atentado contra a segurança dos transportes e associação criminosas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Rondônia informa que, na tarde desta segunda-feira (12) realizou a prisão de seis extremistas que bloqueavam o fluxo de trânsito na BR 364 Km 16, município de Vilhena. Entre os crimes cometidos por “supostos manifestantes” estão a agressão a um usuário da rodovia (que foi socorrido e foi submetido à 16 pontos na cabeça), desobediência à ordem judicial (que impede o fechamento de rodovias) dentre outros. Ao receber voz de prisão, um dos extremistas entrou em um veículo e fugiu pela cidade, dirigindo na contramão e colocando a vida de dezenas de pessoas em risco. Todos foram conduzidos à Delegacia de Polícia Federal.

Esta é a segunda vez em que criminosos, utilizando as manifestações como “desculpa” para desrespeitar a lei e macular a sociedade rondoniense, são presos na principal cidade do Cone Sul. Reforçando a nota emitida esta manhã, as forças policiais não compactuam com ilegalidades; extremistas estão sendo identificados em todo o Estado e serão presos, seja no momento da ação nas vias de trânsito ou em operações policiais futuras.

O livre direito de manifestação, protegido pela Constituição Federal de 1988 no artigo 5°, traz limites para que seu exercício não gere transtornos desnecessários à sociedade. Uma minoria extremista e criminosa não pode invocar o uso desse direito para, deliberadamente, praticar atos ilícitos e gerar prejuízos de toda sorte ao povo de Rondônia.

Decorridos quase 50 dias do início das manifestações, as forças de segurança pública do Estado de Rondônia já atuaram em dezenas de pontos de bloqueio nas rodovias federais em Rondônia. Apesar de a interrupção de trânsito ser ilegal e proibida pela justiça, das dezenas de intervenções pautadas pelo diálogo e das ações com o uso da força de choque e ainda, da reprovação desse modo de atuação (bloqueio de rodovia) pelo Presidente da República, em vídeo exibido em redes sociais, uma parcela extremista de pessoas insistem em ações ilícitas, que vão da interrupção do direito de ir e vir das pessoas evoluindo para diversos crimes, como porte ilegal de arma de fogo, depredação de veículos (incluindo incêndio de caminhões e ônibus), tentativa de obstrução de vias com derramamento de óleo e graxa em regiões de curva para causar acidentes, agressões e outros.

As forças de choque continuarão atuando até que todas as rodovias do Estado voltem à normalidade, empregando os meios necessários, incluindo ações coercitivas e prisões, para sua plena execução.

Núcleo de Comunicação Institucional – (Assessoria de Imprensa)

Fonte: Núcleo de Comunicação Institucional – (Assessoria de Imprensa)