PREVENÇÃO E COMBATE (COMPLEMENTAR) novembro

doe sangue novembro


“Meu namorado foi tomar banho e ela entrou”, conta mulher que executou amiga

Conteúdo exclusivo para assinantes das notificações.


Clique em ACEITAR e depois em PERMITIR que a noticia será liberada automaticamente.
Você também pode aguardar segundos ou clicar aqui para leberar a noticia.

A mulher que matou a amiga a golpes de faca em Canarana (831 km de Cuiabá), contou à reportagem local que matou Adriana da Silva, 26 anos, por ciúme, após ela ter invadido o banheiro onde o namorado dela estava tomando banho.

O crime foi registrado na noite do último domingo (13), após os três passarem o dia bebendo juntos, além do marido da vítima. A assassina foi presa em flagrante.

Na confissão, ela detalha que a confusão teria começado no momento em que elas preparavam o jantar, na casa do companheiro da assassina.

LEIA TAMBÉM

Rondônia: Delegada prende pais de criança de um ano que morreu com várias lesões

RO – Aos 82 anos, auditor fiscal que também era presbítero de igreja evangélica morre após infarto fulminante em casa

Com a Bíblia nas mãos e levantando os braços, mulher entra na pista da BR 364, é atingida por carro e morre

Datena ironiza William Bonner ao vivo no Brasil Urgente

Mulher foge de motel despida e invade carro após ser flagrada com ”talarico”

Vídeos mostram casal fazendo love em caminhonete perto de viaturas da PM

“Ela e meu namorado foram me buscar em casa e ficamos bebendo a tarde toda. Depois, fomos para a casa do meu namorado fazer uma janta, pois eu estava muito passada da bebida. Do nada, meu namorado foi banhar e ela entrou junto. Eu tentei entrar e ela tentou me impedir, mas não teve forças e eu invadi o banheiro”, explicou em entrevista ao programa do Pop no SBT.

A assassina ainda revelou que a vítima chegou a jogar um copo no chão, na tentativa de impedir que ela abrisse a porta, mas não obteve sucesso.

“Quando eu invadi eu fiz eles caírem no chão do banheiro, depois eu sai correndo atrás deles na rua com a faca e esfaqueei ela e também tentei nele”, acrescentou.

Ela ainda contou que estava há pouco mais de um mês de relacionamento com o cara e que sua amizade com Adriana era de longa data “éramos mais que amigas, praticamente irmãs”.  

Em determinado momento do relato, a criminosa muda o tom de voz, aparentando estar emocionada ao relembrar do crime.

Ao ser questionada sobre o que aconteceria agora, ela afirmou que “agora alguém vai pagar né. Nesse caso eu e meu pai, né! Que está em casa precisando da minha ajuda”, lamentou.

Relembre o caso

Adriana foi esfaqueada na região do tórax. O marido da vítima tinha saído para comprar refrigerante e quando retornou, ao presenciar a situação, tentou intervir, mas sofreu um corte na orelha.

Durante a confusão, ele conseguiu desarmar a criminosa. A Polícia Militar foi acionada e quando chegou ao local encontrou a assassina que foi algemada e encaminhada a delegacia.

Fonte reporterMT

doação de sangue