PREVENÇÃO E COMBATE (COMPLEMENTAR) novembro

doe sangue novembro


Capataz de fazenda de 27 anos morre na zona rural de Chupinguaia, após levar coice da mula

Conteúdo exclusivo para assinantes das notificações.


Clique em ACEITAR e depois em PERMITIR que a noticia será liberada automaticamente.
Você também pode aguardar segundos ou clicar aqui para leberar a noticia.

Um rapaz de 27 anos, identificado como Douglas Araújo dos Santos, morreu no início da tarde de ontem (sexta-feira, 18), domando uma mula na Fazenda Bandeirante, em Novo Plano, distrito de Chupinguaia.

O jovem peão, que havia sido nomeado capataz da propriedade havia apenas dois meses, estava domando uma mula chucra, quando o animal o atacou com um coice fatal.

LEIA TAMBÉM

Comerciante de Cacoal morre por complicações da Covid-19

Rondônia: Três suspeitos de executar e arrancar a cabeça de homem é preso pelo SEVIC

Caminhonete ocupada por família que voltava de culto evangélico capota na BR-364

Dentista rondoniense é pioneira em criação de protocolo para clareamento com zero sensibilidade

“Só se vive uma vez”, diz idoso ao ser flagrado namorando no matinho em plena luz do dia; veja vídeo

Vídeos mostram casal fazendo love em caminhonete perto de viaturas da PM

No dia errado e na hora errada: motociclista é esmagado após árvore cair em cima da cabeça dele; veja vídeo

Jovem perde parte do intestino após “desafio do piercing” no TikTok



De acordo com um colega de trabalho da vítima, a mula deu um pinote e Douglas voou da sela, caindo em pé, atrás do animal, que o golpeou com as duas patas na altura do tórax.

O domador, segundo a testemunha, ainda sorriu após o golpe, mas caiu após dar alguns passos e se sentar no chão. Antes de morrer, o jovem sangrou pela boca e o nariz. Segundo avaliação de amigos, o coice teria quebrado suas costelas e perfurado os pulmões, levando a uma hemorragia interna.

A esposa do capataz, com quem ele teve um filho, Daniel Lucas, hoje com 07 anos, precisou andar até um local com acesso à internet, para avisar os familiares sobre o acidente.

Uma ambulância da prefeitura de Chupinguaia, com uma enfermeira a bordo, foi ao local, onde a profissional de saúde constatou que o rapaz estava morto.

Nascido e criado na região de Chupinguaia, filho de peão, Douglas já havia trabalhado em outras fazendas e há algum tempo vinha tentando amansar a mula. Ele avisava os companheiros de trabalho para terem cuidado com o animal, que era muito coiceiro.

“Ele morreu fazendo o que gostava”, disse uma amiga da família, informando que o velório de Douglas, cujo corpo veio para Vilhena, a fim de passar pela necropsia, será realizado na Capela Mortuária de Chupinguaia.

fonte folha do sul

doação de sangue