doe sangue novembro


Após mortes de mãe e padrasto, filhas de 5 e 8 anos são achadas mortas e enterradas em Novo Horizonte

mãe e padrasto

A Polícia Civil informou na sexta-feira (23) que foram encontrados os corpos das irmãs, de 5 e 8 anos, que desapareceram na tarde do último sábado (17) em Novo Horizonte/SC.

As meninas estavam enterradas em um banhado na Linha Mezari, interior do município, com sinais de agressão, como afundamento de crânio. Os corpos estavam próximo da casa onde moravam com a mãe Neusa Dias Maciel, de 24 anos, e o padrasto, Ademar Carneiro, de 33 anos.

VEJA MAIS

Batida entre Uno e Corsa mata dois na noite de Natal

Pai, mãe e filha de 13 anos são mortos à tiros de espingarda em Ji-Paraná; dois bebês ficaram vivos

Rondônia: Vocalista da banda Semáforo 89 é encontrado morto em casa

Segundo a Polícia Civil, o casal também foi encontrado morto nos últimos dias. Neusa foi achada enterrada na mesma área, na quinta (22), com sinais de violência. Já Ademar apareceu carbonizado no próprio carro incendiado, na terça (17), na Linha Platanéia. Era uma Parati, de Biguaçu/SC.

Ainda segundo a polícia, no carro onde estava o homem havia uma espingarda calibre 12 milímetros, cano duplo intercalado, que também estava totalmente destruída em razão do incêndio. Não há informações sobre quem seria o dono da arma.

Os corpos das crianças estavam um pouco distante do local onde foi encontrado o corpo de Neusa, na manhã de quinta, conforme a polícia, no entanto, tudo indica que se trata das filhas da mulher. Exames cadavéricos devem confirmar a identidade.

As meninas não eram filhas de Ademar, mas conforme relato de uma familiar que não quis se identificar, ele as tratava com muito carinho. As investigações estão a cargo da Divisão de Investigação Criminal de Fronteira de São Lourenço do Oeste/SC.

Casal estava junto há dois anos

Uma familiar de Neusa, que não quis se identificar, contou à reportagem do ND+ que o casal estava junto há cerca de dois anos e trabalhavam cortando madeiras de eucalipto no interior de Novo Horizonte, onde também moravam.

A família estranhou o sumiço de Neusa e das filhas, já que ela costumava se comunicar por mensagens diariamente. “No sábado ela não respondeu mais às mensagens. O Ade [marido dela] até chegou a ligar para a irmã dela, na segunda-feira, pedindo se ela tinha alguma informação. Ele falou que não sabia do paradeiro dela e que ela teria saído com as crianças”, conta.

No dia seguinte [terça-feira, 20 de dezembro], a polícia encontrou o corpo de Ademar. Os familiares de Neusa cogitaram a hipótese de um acidente de trânsito seguido da explosão do veículo. Já a procura pela mulher encerrou nesta quinta quando o corpo foi achado próximo da casa onde ela morava. As meninas seguem desaparecidas.

Sobre o relacionamento do casal, a família afirma que os dois se gostavam muito, mas tinham ciúmes um do outro. Eles chegaram a ter algumas brigas em decorrência disso. Porém, nada que levante qualquer tipo de suspeita por parte da família.

Fonte: WILLIAN RICARDO, CHAPECÓ do ND MAIS