PREVENÇÃO E COMBATE (COMPLEMENTAR) novembro

doe sangue novembro


RO – Um dia após sepultamento da esposa, morta por Covid, homem morre enfrentando a mesma doença, haviam tomado duas doses da vacina

Conteúdo exclusivo para assinantes das notificações.


Clique em ACEITAR e depois em PERMITIR que a noticia será liberada automaticamente.
Você também pode aguardar segundos ou clicar aqui para leberar a noticia.

Minutos após a reportagem informar o falecimento de sua esposa, Clarice Maria Rigo, de 71 anos, o pecuarista Armindo Rigo, 12 anos mais velho, morreu da mesma doença: Covid-19. O casal estava internado no hospital Femina, em Cuiabá (MT), e ambos já haviam tomando a segunda dose da vacina contra o novo Coronavírus.

Ao comentar o falecimento, um dos filhos do pioneiro disse ter ouvido dos médicos que Armindo pode ter contraído uma cepa nova do Coronavírus, uma vez que já havia sido infectado no ano passado. “Escutei eles falando que seis mutações estão circulando em Vilhena”, disse ao site.

LEIA TAMBÉM

Homem morre após bater em “Guard Rail” na BR-364

Entregador aceita pagamento com “LOVE” e viraliza na internet; veja vídeo

Rondônia – Caseiro de fazenda morre baleado ao sair dizendo que ia caçar

Rondônia: Adolescente de 15 anos morre após sofrer forte dor de cabeça

Esposa furiosa tortura amiga de infância com tesoura após suposta traição do marido; veja vídeo

Rondônia: Empresário é encontrado morto pela esposa



O entrevistado também fez questão de alertar para os cuidados durante a pandemia, mesmo após a vacinação. O casal falecido com poucas horas de diferença havia tomado a segunda dose do imunizante mais de 50 dias atrás.

“A gente anda pela rua e vê o quanto ainda tem pessoas que não se cuidam e nem respeitam os outros. Um monte de moças e rapazes se aglomerando e sem máscara. Mesmo que eles sobrevivam, podem levar o vírus para suas casas e contaminar parente idosos. Se aconteceu na minha família, mesmo a gente se cuidando ao máximo, imagine nas casas de quem não toma precauções”, disse o filho de Rigo.

O corpo de Armindo será sepultado daqui a pouco, ao lado da esposa, no jazigo da família, que ele mesmo decidiu construir dois anos atrás e que foi finalizado recentemente.

Fonte Folha do Sul On Line

doação de sangue