Rondonienses testemunham tragédia em MS: tempestade de areia atinge chalana e 7 pessoas estão desaparecidas no rio Paraguai


Um grupo de vilhenenses que está, desde a semana passada, pecando no rio Paraguai, em Mato Grosso do Sul, testemunhou uma tragédia registrada ontem: uma chalana de médio porte virou durante a tempestade de areia que atingiu Corumbá – cidade a 446 quilômetros de Campo Grande. Segundo informações preliminares, 21 passageiros estavam na embarcação e sete ainda estão desaparecidos.
 
A embarcação virou na região do Tagiloma, que fica a cerca de cinco quilômetros do Porto Geral (MS). Equipes do Corpo de Bombeiros foram mobilizadas para o resgate e avisadas de que pelo menos 21 pessoas estavam na chalana.

LEIA TAMBÉM

BR-364: Carro capota com 5 da mesma família e mata mulher na hora

RO – Câmeras de segurança filmam carro suspeito de tentar raptar crianças

Trágico: Casal morre após acidente na BR-364

RO – Mulher cai de motocicleta durante colisão e acaba morrendo atropleada


 
Parte das vítimas foram resgatadas por um barco do Exército que passava pelo local. Sete pessoas, no entanto, continuam desaparecidas nas águas do rio.
 
Mergulhadores de Campo Grande já foram acionados para auxiliar nas buscas. Além do Corpo de Bombeiros, a Capitania Fluvial do Pantanal também foi chamada para dar apoio ao resgate.
 
Segundo o meteorologista da Uniderp, Natálio Abrahão, o vento chegou da 51 km/h na região durante o temporal.
 
VILHENENSES
Fazendo parte do grupo de 22 pescadores, a maioria de Rondônia, o tenente da Polícia Militar em Vilhena, Henrique César Gonçalves, hoje na reserva, enviou fotos e informações ao FOLHA DO SUL ON LINE, além de imagens da gigantesca nuvem de poeira que se formou sobre o rio.
 
O militar disse que, como o barco em que o grupo estava havia ficado em um trecho do rio Paraguai onde não é possível captar sinal de celular ou internet, os familiares dos pescadores ficaram preocupados após saberem do naufrágio.
 
“O nosso barco é muito bom, e não foi afetado pela tempestade”, disse o tenente, que relatou o pavor de turistas diante do assustador fenômeno da natureza.
 
CLIQUE ABAIXO e assista o vídeo mostrando a gigantesca tempestade.

ASSISTA O VÍDEO AQUI
 

FONTE FOLHA DO SUL ON LINE