RO – Mulher morre após ser atropelada por caminhão na BR-364


Uma mulher ainda não identificada foi vítima de um grave acidente de trânsito na tarde desta quinta-feira (25). Ela foi atropelada por um caminhão na BR-364, por volta das 14h45, e foi socorrida em estado grave, mas não resistiu aos ferimento e foi a óbito.

LEIA MAIS

Trágico: Adolescente que doaria medula ao pai é morto por engano no lugar do irmão

RO – Pastor aciona a PM após ser ameaçado de morte ao expulsar homem de igreja

Sobrevivente do capotamento de ônibus da Eucatur na BR-364, vereador Rondoniense passa por cirurgia em Minas Gerais: “quase morri”

BR-364: motociclista morre após bater em traseira de carreta próximo ao distrito do Guaporé; vídeos

Acidente na BR-364: Carro bate de frente com ônibus e uma pessoa morre e duas ficam feridas

Uma equipe do Corpo de Bombeiros fez os primeiros socorros no local e em seguida conduziu a vítima ao Hospital Municipal de Jaru para receber atendimento médico, porém ela faleceu momentos depois.

O caminhão que teria atropelado a idosa não se encontrava mais no local do acidente. A Polícia está à procura do condutor do caminhão envolvido no acidente. Segundo informações, era possível ver as marcas deixadas pelos pneus do caminhão no corpo da idosa.

O corpo da vítima, que não portava nenhum documento, está na funerária Dom Bosco. Ela trajava saia preta com listras na lateral das pernas, blusa lilás e aparentava ter entre 55 a 60 anos. O proprietário da funerária pede aos familiares que sentirem falta de uma pessoa com essas características, favor entrar em contato pelo fone 3521-2824 ou comparecer à rua Afonso José, nº 3058, no Setor 01 de Jaru.

IDENTIFICADA

Marli Feliciano dos Santos de 54 anos, é a mulher que veio a óbito na tarde desta quinta-feira (25) em decorrência de um atropelamento na BR 364, próximo a Ponte do Rio Jaru.

Segundo informações de testemunhas a idosa teria se jogado propositalmente debaixo da carreta que seguia na via, sentido Ouro Preto do Oeste.

Ela chegou a ser socorrida por militares do exército e Corpo e Bombeiros, porém não resistiu.

Familiares contaram que ela estava depressiva, pois não estava superando a morte da mãe.

Fonte: Anoticiamais / JARU ON LINE