PREVENÇÃO E COMBATE (COMPLEMENTAR) novembro

doe sangue novembro


Vídeo mostra afogamento de tio, pai e filho em rio

Conteúdo exclusivo para assinantes das notificações.


Clique em ACEITAR e depois em PERMITIR que a noticia será liberada automaticamente.
Você também pode aguardar segundos ou clicar aqui para leberar a noticia.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o exato momento do afogamento que vítimou tio, sobrinho e uma criança de 7 anos. O caso foi registrado no último domingo (16), na Praia do Juilão, em Cáceres (217 Km de Cuiabá).

O vídeo foi gravado por Marcelo Ortiz da Silva, que registrava o momento de lazer da família. Eles estavam numa parte rasa do rio e registram até barcos passando ao fundo.

VEJA+Interior de Rondônia – Empresário é morto à tiros

Em determinado momento, ele percebe que seu tio e seu filho estavam se afogando. Em seguida, ele soltou o celular para tentar salvá-los, mas os três acabaram se afogando e vieram a óbito. 

O CASO

Um homem identificado como Elias Figueiredo da Silva, 58 anos, seu sobrinho Marcelo Ortiz da Silva, 42, e o filho Marcelo, de apenas 7 anos, morreram afogados na tarde de domingo (16) durante uma pescaria no Rio Paraguai, em Cáceres (219 quilômetros de Cuiabá). 

De acordo com a ocorrência, os três estavam pescando no rio e não voltaram para casa. A família registrou um boletim de ocorrência depois de receber uma ligação no final da tarde avisando que o celular e os pertences das vítimas foram encontrados na praia do rio onde eles pescavam.

VEJA+ Crianças e adultos ficam feridos em grave acidente com caçamba na BR-364

Os familiares foram até o local e encontraram o corpo de Elias. Marcelo e o filho não foram encontrados no mesmo local. 

O Corpo de Bombeiros foi acionado para realizar buscas aos desaparecidos. No domingo, eles não chegaram a serem encontrados.

A criança foi encontrada por volta das 7h e o pai, Marcelo Ortiz foi encontrado às 8h40, de segunda-feira (17). 

Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) para os exames de necrópsia. Ainda não se sabe o que teria causado a morte das vítimas. 

A Polícia Civil acompanha o caso.

FONTE FOLHA MAX

doação de sangue