Moradora de Espigão do Oeste procura por pai que nunca conheceu e que pode estar morando em Cerejeiras


A dona de casa Quelen Machado (foto), de 31 anos, moradora da cidade de Espigão do Oeste, na área central do Estado de Rondônia, procurou a reportagem para tentar achar o pai, que não o vê desde quando nasceu.

Segundo a dona de casa, o pai dela deve se chamar Vanderlei Cardoso e pode estar morando em Cerejeiras. Segundo afirma, ela não está registrada no nome dele (o registro dela não conta nome do pai), por isso é difícil saber com exatidão o nome do genitor.

LEIA TAMBÉM

Homem morre no local e mãe e filha são socorridas em estado grave em acidente na zona rural de Parecis

URGENTE: Corpo é localizado às margens do rio machado

Vídeo mostra empresária amarrada e sendo espancada durante roubo de loja

Ônibus da Viação Juína bate na traseira de caminhão na br-174 com 30 passageiros a bordo

FATAL: Trabalhador morre triturado em garimpo

BR-364: História da mulher que salvou a vida do neto antes de morrer carbonizada dentro de ônibus

Incêndio destrói agropecuária e coloca outros comércios em risco no Centro de Colorado



Quelen, hoje casada e mãe de um casal de filhos, diz querer encontrar o pai. “A família de minha mãe veio embora na época, corrida por uma desavença com o meu pai por ele não assumir a paternidade. Tenho muita vontade de encontrar ele”, disse. Ela não tem foto do pai.

A dona de casa enviou uma cópia da certidão de nascimento para a reportagem. No documento consta que ela nasceu na Linha 8, no município de Cerejeiras, mas foi registrada em Pimenta Bueno. Ela nasceu em 1989.

Apenas para ilustrar o drama que a família ela viveu na época, o pai dela acabou tendo de se mudar de Cerejeiras porque o avô de Quelen ficou muito nervoso com a situação e ameaçou o pai dela pela gravidez da mãe.

A mãe de Quelen se chama Maria Aparecida Machado e os avós maternos se chamam Nilton Machado e Carmem Domingues Flores Machado.

Se alguém tiver alguma informação, pode comunicar com a própria Quelen, no telefone e WhastApp  (69) 9 9913 9605.

FONTE FOLHA DO SUL ON LINE