Jorge e Mateus enfrentam batalha judicial milionária contra o ex-empresário


O rompimento de Jorge & Mateus com o escritório AudioMix, do empresário Marcos Araújo, mais conhecido como Marquinhos, ainda vai dar muito o que falar. Eles trabalharam juntos por mais de 10 anos e encerraram a parceria, conforme adiantado por este colunista, em dezembro de 2019.

O que acontece é que Marquinhos está processando Jorge & Mateus. O empresário, que foi responsável por uma década de sucesso gerenciando a dupla, pede mais de R$ 31 milhões pelo rompimento de contrato no fim do ano. Na ocasião, a dupla não quis renovar o contrato de gerenciamento artístico, alegando que passariam a administrar a própria carreira. O processo não está em segredo de Justiça, mas, após a publicação desta matéria, os advogados vão pedir segredo.

Em conversa com a Coluna do Leo Dias, o advogado da AudioMix, Roberto Fonseca, contou que hoje há uma possibilidade remota de acordo entre as partes. Algo novo, já que quando aconteceu o rompimento, havia um ódio muito grande entre eles, sem nenhuma possibilidade de acordo. O advogado aponta ainda que o valor de R$ 31 milhões é considerado até pequeno perto do que Jorge & Mateus ganharam ao longo desses 10 anos de trabalho com a AudioMix, ressaltando que, em média, rompimento de contratos desse tipo geram uma multa de aproximadamente R$ 50 milhões, superior ao que a AudioMix pede.

O valor pedido por Marcos Araújo tem como base o texto do documento original de agenciamento estabelecido por eles, onde não havia prazo determinado para o controle dos direitos da dupla. Ou seja, não há uma data específica para a AudioMix deixar de ser a controladora da carreira da dupla e a empresa entende que, por isso, deve receber o valor da multa rescisória, que era de R$ 15 milhões na ocasião das assinaturas. O valor atualizado, com juros, chega a mais de R$ 31.7 milhões.

No processo, a equipe jurídica de Jorge e Mateus se defende argumentando que, pelo contrato de agenciamento artístico não possuir prazo final determinado, entende-se que 10 anos seria um período mais do que razoável para sua conclusão. Os advogados de Jorge e Mateus argumentam, então, que o valor jurídico do contrato acabou em abril de 2017. E ainda acrescentam que esse fato era de conhecimento de Marquinhos, já que naquela época ele teria tentado renovar o contrato com os cantores, mas os artistas não aceitaram já naquela ocasião.

A AudioMix, em busca de reparar a enorme perda de não ter mais Jorge e Mateus em seu escritório, passou a controlar a agenda de Gusttavo Lima. Eles cuidam da agenda do ‘Embaixador’ e também de Luan Santana. Outro feito importante da AudioMix foi criar Alok, que pertence ao escritório.

Fonte https://tvefamosos.uol.com.br/colunas/leo-dias