DOE SANGUE

queimadas


Ipem identifica irregularidades em bombas de combustível em distrito de Chupinguaia

Bombas de combustíveis foram flagradas em desacordo com as normas estabelecidas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) durante fiscalização do Governo de Rondônia, por meio do Instituto de Pesos e Medidas de Rondônia (Ipem), em Novo Plano, distrito de Chupinguaia, distante 43 quilômetros.

Os equipamentos verificados estavam em mau estado de conservação. As portarias do Inmetro determina que as bombas de combustível não podem ter seus componentes ou configurações modificados.

LEIA TAMBÉM

Carreta carregada de óleo de cozinha tomba na BR-364

Interior de RO- Bebê de 04 meses sofreu síndrome morte súbita do lactente

Vaza suposto vídeo delicado do humorista Cremosinho, ‘noivo’ da Ruivinha de Marte

Ambulância com pacientes que tiveram alta se envolve em acidente e três morrem

Jovem de 18 anos morre após receber descarga elétrica enquanto usava o celular



“Os ajustes necessários a serem realizados nas bombas de combustível devem ser feitos por permissionárias ou empresas autorizadas, mediante a abertura do plano de selagem para a devida manutenção”, destacou o diretor técnico do Ipem, Waldir Tschurtschenthaler Costa.

Para o presidente do Ipem, Aziz Rahal Neto, a ação do órgão tem o intuito de conferir o maior número possível de postos de combustíveis no Estado de Rondônia ao longo do ano. “Os equipamentos devem seguir as normas do Inmetro e o foco do nosso trabalho é evitar problemas como esse registrado em Novo Plano, garantindo que o consumidor possa realmente adquirir o que está comprando, conforme pedido do governador Marcos Rocha”, pontuou o presidente do Ipem.

As fiscalizações do Instituto cumprem os requisitos de segurança contra a covid-19, com as equipes mantendo o distanciamento necessário, utilizando máscaras faciais e álcool gel.

O consumidor que encontrar ou suspeitar de alguma irregularidade, pode informar à Ouvidoria do Ipem pelo e-mail ouvidor@ipem.ro.gov.br ou pelo telefone 0800 647 7277.


Fonte:SECOM