Caso Laryssa: suspeito confessa crime e diz que tinha ‘desejo de matar desde a infância’

EXPOPIB

O suspeito de matar e enterrar o corpo de Laryssa Victória no próprio quintal, em Ouro Preto do Oeste (RO), foi interrogado e confessou que matou a adolescente pelo “desejo de matar” que tinha desde a infância. As informações foram confirmadas ao g1 pela Polícia Civil nesta quinta-feira (7).

De acordo com o delegado Niki Locatelli, responsável pelo caso, Ronaldo dos Santos Lira prestou depoimento nesta quinta e deu detalhes de como matou Laryssa. O interrogatório durou mais de cinco horas e possui mais de 10 páginas de transcrição.

“Ele revelou que tinha esse desejo desde a infância, ele sempre quis matar alguém e ver a pessoa sofrer. Ele fala que via muitos vídeos e já chegou ver pessoas sendo esquartejadas e ele diz que tinha prazer nisso”, comenta o delegado.

LEIA MAIS,

Inacreditável: banda coloca cadáver de cantor de pé no palco durante festa luxuosa; veja vídeo

Pai detalha conversa com suspeito antes de achar filha morta em RO: ‘ele tava bebendo vodka tranquilinho’

VÍDEO – Secretaria de saúde apura e informa que episódio no Hospital não seria com médico, mas sim técnico de enfermagem

“Foi gostoso?”, pergunta marido que flagrou mulher saindo de motel com amante; veja

Interior de RO – Mulher encontra ex-marido morto dentro de quarto

Homem armado invade Câmara e tenta matar vereador; veja vídeo

Mulher morde pênis do parceiro durante o sexo e ele para no hospital

Confissão

Segundo informações do depoimento de Ronaldo para a Polícia Civil, ele saiu de casa na sexta-feira, dia 18 de março de 2022, com a intenção de matar alguém. Ele acabou encontrando Laryssa e sentiu um “chamado” de que tinha que ser ela. De alguma forma ainda não revelada, ele convenceu a menina a ir até a casa dele.

Já na manhã do sábado, dia 19 de março, enquanto Laryssa dormia, ele pegou a própria bolsa da vítima, enrolou a alça no pescoço dela e tentou um estrangulamento. Nesse momento, a adolescente teria acordado e questionado porque ele estava fazendo aquilo.

Em seguida, Ronaldo diz que pegou uma faca e deu um golpe no pescoço da vítima. Então ficou a “assistindo sangrar”. O laudo tanatoscópico confirma que Laryssa morreu de hemorragia externa por instrumento pérfuro-inciso, ou seja, sangrou até a morte. Ele narrou no interrogatório que enquanto ela morria ele ria de prazer.

“Laryssa morreu aos poucos e ele teve prazer em vê-la morrendo aos poucos”, comentou o delegado.

Após a morte, Ronaldo teria saído para buscar comida e voltou para comer vendo o corpo de Laryssa.

“São descrições de um crime chocante e aterrorizante. Realmente mexeu até conosco, investigadores”, finaliza Niki.

g1 tenta localizar a defesa do suspeito.