Brasil: Trabalhador de 37 anos morre com suspeita de hantavirose

EXPOPIB

A Secretaria de Saúde de Tangará da Serra está investigando um caso suspeito de hantavirose. A Vigilância Epidemiológica do município enviou uma amostra de sangue para o Laboratório Central (Lacen), em Cuiabá, o qual deve confirmar ou descartar a doença. O resultado deve sair em 30 dias.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, o suposto contaminado se trata de um trabalhador rural de 37 anos que deu entrada em um hospital particular na última sexta-feira (16), mas no sábado (17) o quadro clínico dele piorou e ele morreu.

LEIA TAMBÉM

Batida de frente entre caminhão e carreta mata empresário na BR-364

Trágico: Adolescente brincava com irmã quando se afogou na piscina de clube

Rondônia: Pai arromba porta de quarto e encontra o filho morto na cama

“Milagre!”: mulher desmaia, cai em trilhos enquanto trem passa e é resgatada sem nenhum arranhão; veja vídeo

O paciente apresentava sintomas como falta de ar, dor intensa no corpo e muita febre quando deu entrada no hospital.

Na quarta-feira, ele tinha sintomas mais leves, mas no dia seguinte teve uma piora e na sexta ele procurou ajuda medica.

De acordo com o coordenador da Vigilância Epidemiológica, Fabricio Santos Queiroz, casos da doença tem sido mais frequentes.

A hantavirose é causada pelo rato silvestre nativo da regiao do cerrado e é mais comum que o ser humano se contamine com a doença por meio da inalação dos aerossóis onde tem o vírus eliminado pela urina, fezes ou saliva do roedor, como por exemplo, nas calhas, quando a pessoa vai limpar o local, e, no caso de fazendas, os galpões e no armazém dos grãos.

A doença não tem cura e os sintomas são bem parecidos com as de uma gripe afetando principalmente os pulmões.

fonte g1 mt – foto capa ilustrativa