Conheça a história da Moradora Pimentense Maria Conceição Amorim, 104 anos e muita alegria em viver




Conheça a história da Moradora Pimentense Maria Conceição Amorim, 104 anos e muita alegria em viver


Por: Conexão Rondônia

A história que você vai ler a partir de agora, é de uma senhora que se chama, Maria Conceição. Ela tem 104 anos de idade, uma alegria única de viver, que poucas pessoas conseguem compreender, ou já tiveram.

Dona Maria, nasceu em 18 de abril de 1914, faz tempo não é mesmo? Pois bem, o nome completo é Maria Conceição de Jesus Amorim. Nasceu numa família humilde, de pessoas simples, de tradições que de nós, foram se perdendo ao longo da nossa vida, mas dona Maria as cultivou, praticamente todas vivas dentro da memória.

Pimenta Bueno, município com cerca de 40 mil habitantes, entra na vida dessa mulher chamada Maria Conceição, no ano de 1971. É que dona Maria é daquelas mulheres que foram feitas para se casarem e, isto ocorreu logo ao completar seus 17 anos de idade.

Venha ser FAP Inscreva-se aqui: http://vestibularfap.qualcurso.com/

Venha ser FAP Inscreva-se aqui: http://vestibularfap.qualcurso.com/

Foi nesta época que ela começou a construir a sua família. Dona Maria, se casou com Manoel Amorim eles eram ribeirinhos, acredita nisso? Dona Maria, construiu uma família de 6 filhos, com Seu Manoel. Desses 6 filhos, 32 são netos. Outros 72 são bisnetos e ainda tem outros 27, que são tataranetos.

Mas houve também tempos difíceis. Ah se houveram! Dos seis filhos de Dona Maria e Manoel Amorim, sendo eles: Isaura, Joaquim, Mercedes, Amélia, João e Maria Joana, três já são falecidos. São eles: Isaura, Joaquim e Maria Joana. Esses, já não residem mais entre nós,e enchem o coração da anciã de saudades.

Dona Maria da Conceição, reside na linha na RO-010, no sentido Rolim de Moura, juntamente com sua filha Mercedes. São 104 anos de um tanto bom de vitalidade, de muita alegria de viver e muitas histórias, capazes de nos prender ao conversar com essa guerreira, cheia de animosidade, mas que infelizmente, como muitos de nós, tem passado um perrengue daqueles por causa da perda da visão.
As luzes e imagens já não são brilhosas e nítidas, como eram dantes, mas isto não é capaz de tirar a vontade de viver e de provocar sorrisos na mulher carregada de experiências.

Não daria conta de contar a história dessa guerreira, que nasceu em 18 de abril, de 1914, durante a Primeira Guerra Mundial, dos seus seis filhos, 32 netos, seus 72 bisnetos e 27 tataranetos, nem se eu buscasse os mais íntimos detalhes. E por falar em detalhes, eles realmente, são muitos, inclusive, para falar a verdade, são detalhes que ninguém jamais conseguiria transmitir no papel. São experiências únicas e ímpares.

O que pode ser notado, é que a bem da verdade, dona Maria da Conceição, tem uma imensa vocação para viver, e, diga-se de passagem, viver muito bem.

Tenho certeza de que você que chegou até este último parágrafo, está carregado do mesmo orgulho que todos nós, da Redação, em poder conhecer um pouquinho da história desta mulher, que além de nos orgulhar e representar, nos serve de exemplo de perseverança.



Fonte Conexão Rondônia


Outros Destaques

Mais Notícias